Casamento

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NO CASAMENTO
“O amor não consiste em olhar um
para o outro, mas em olhar juntos na
mesma direção.
Na verdade o homem e a mulher não
olham somente na mesma direção, eles
trabalham na mesma direção.”
Anne M. Lindberg
Presente do Mar

O que é Inteligência Emocional?

Inteligência Emocional é um conjunto específico de aptidões utilizadas no conhecimento e processamento das informações relacionadas à emoção. Na história da psicologia moderna o termo “Inteligência Emocional” foi criado pelo americano Daniel Goleman[1]na década de 90 e significa a capacidade de sentir, entender, controlar e modificar o estado emocional próprio ou de outra pessoa de forma organizada.

Diferenças emocionais entre homens e mulheres

Existem duas realidades emocionais num casal, a dele e a dela. As raízes dessas diferenças emocionais embora possam ser em parte biológicas, também podem ser identificadas às influências socioculturais que separam os mundos emocionais dos meninos e das meninas.

Quando as meninas brincam juntas, fazem isso em grupos pequenos, íntimos, com ênfase na minimização da hostilidade e maximização da cooperação, enquanto as brincadeiras dos meninos são em grupos maiores, com ênfase na competição. Os meninos se orgulham de uma independência e autonomia solitárias, enquanto as meninas se veem como parte de uma teia de relações. Assim, os meninos se sentem ameaçados por qualquer coisa que desafie sua independência, enquanto as meninas são ameaçadas por um rompimento em seus relacionamentos.

Em resumo, esses contrastes no aprendizado emocional promovem aptidões bastante diferentes, com as meninas tornando-se capazes de ler sinais emocionais verbais e não-verbais, de expressar e comunicar seus sentimentos e os meninos tornando-se capazes de minimizar emoções que tenham a ver com vulnerabilidade, culpa, medo e dor.

No relacionamento, homens e mulheres querem e esperam coisas bastante diferentes de um casamento. As mulheres buscam ligação emocional e para elas intimidade significa discutir tudo, sobretudo a própria relação. Os homens, muitas vezes, não entendem o que as esposas querem deles, e estão satisfeitos em falar de coisas e fazer coisas em conjunto.

E estas diferenças emocionais também aparecem na forma como os casais lidam com as queixas e divergências que qualquer relacionamento enfrenta. Questões como a frequência com a qual o casal faz sexo, como educar os filhos, questões econômicas e tarefas domésticas não são o que mantém ou rompe um casamento. Ao contrário, é como o casal discute esses pontos sensíveis que mais importa para o destino de um casamento. Chegar a um acordo sobre como discordar é fundamental para a sobrevivência conjugal. Homens e mulheres têm de superar as diferenças de gênero inatas ao abordarem emoções tão turbulentas.

Estilos de casamento

Segundo John Gottman[2]não existe um único tipo de casamento bem sucedido. Os casamentos se definem, com o passar do tempo por um dentre cinco tipos diferentes. Dois destes tipos levam ao fim do casamento enquanto os outros três estilos completamente diferentes se mostram bastante estáveis. Quanto mais um casamento se aproximar de um desses três estilos, maiores as chances de estabilidade prolongada e felicidade.

A maneira de identificar qual o estilo de casamento de um determinado casal é pela análise de como discutem. Através de suas pesquisas, John Gottman identificou três tipos de casamento estável com base em seu estilo de discussão: Casamento de VALIDAÇÃO, casamento VOLÁTIL ou casamento de EVITAÇÃO.

ESTILO DE CASAMENTO DE VALIDAÇÃO
Nesse estilo de casamento, quando o casal está discutindo, demonstra muita calma e tranquilidade, tem uma grande capacidade de ouvir e compreender o ponto de vista e as emoções do outro. No meio de uma discussão, o casal continua a mostrar ao parceiro que considera suas opiniões e emoções válidas, ainda que não concorde com elas.
Esse estilo de casal costuma exibir um padrão específico (validação/persuasão/acordo) durante seus conflitos. Em geral, eles começam ouvindo os argumentos um do outro. Depois de expressarem adequadamente suas opiniões, eles passam para a fase de tentar convencer o outro de que sua posição é a correta. As tentativas de convencer o outro são bem intencionadas. Não há cabo de guerra nem insistência de que somente o ponto de vista próprio é o correto. E finalmente, eles negociam um acordo que agrade a ambos ou com o qual possam pelo menos conviver.
Outras características deste estilo de casamento: Os casais são bons amigos que valorizam o “nós” no casamento, em detrimento de objetivos e valores individuais. Ao dialogar, costumam concluir a frase do cônjuge. Em casa, raramente possuem espaço individual ou uma grande necessidade de privacidade. Valorizam a comunicação, a transparência verbal, o estar apaixonado, demonstrar afeto, compartilhar seu tempo, suas atividades e interesses com o parceiro.
O perigo para os casais de validação, está em transformarem o casamento num acordo desapaixonado, no qual o romantismo e a individualidade sejam sacrificados em nome da amizade e da união.

ESTILO DE CASAMENTO VOLÁTIL
Esses casais discutem muito e demoram um tempo ainda maior reconciliando-se. Não existe um parceiro retraído ou distante num casamento volátil. Essas relações são caracterizadas por um alto nível de envolvimento durante as discussões.
Os casais voláteis pulam a fase de validação durante seus conflitos. Não tentam entender o parceiro nem demonstrar empatia. Vão diretamente para a fase da persuasão onde o mais importante é ser o vencedor. Apesar desta fase parecer nunca terminar, eles finalmente conseguem chegar à última fase e solucionar as divergências.
Características deste estilo de casamento: Apreciam a independência, convictos de que o casamento deve valorizar e fortalecer a individualidade. Ao dialogar, tendem a interromper a frase do outro com perguntas. Em casa, costumam ter espaços separados e pessoais, e respeitam a privacidade do cônjuge. São bastante abertos no que diz respeito aos seus sentimentos tanto os positivos quanto os negativos.
A facilidade com que revelam seus pensamentos e emoções mais íntimas estimula igualmente as discussões e o romantismo. Esses casamentos costumam ser cheios de paixão e excitação, como se o perigo conferisse mais vibração ao casamento.
Os perigos para os casais voláteis estão nas provocações e brincadeiras que podem resultar em ressentimentos e no seu compromisso inflexível com a honestidade a qualquer preço que pode provocar mágoas e constrangimentos.

ESTILO DE CASAMENTO DE EVITAÇÃO
Nesse estilo de casamento parece acontecer pouca coisa entre os cônjuges durante uma discussão, pois eles preferem não dar importância às divergências em vez de solucioná-las, terminando qualquer atrito “concordando em discordar”.
Eles conseguem compreender que têm discordâncias, mas não exploram a natureza emocional exata de suas divergências. Solucionar um problema significa ignorar as diferenças. Um dos parceiros concorda em ter uma atitude semelhante à do outro ou simplesmente dão tempo ao tempo. Solucionam suas divergências evitando-as ou minimizando-as. Em vez de resolver os conflitos, reafirmam aquilo que amam e valorizam no casamento, acentuam aquilo que é positivo e aceitam o resto.
Contudo, o nível de companheirismo e cumplicidade é bastante baixo nesse estilo de casamento. Os cônjuges valorizam o afastamento e mantêm a autonomia em sua maneira de usar o espaço. Esses casais costumam ter vidas calmas e agradáveis.
Existem dois perigos neste estilo de casamento: a inexperiência dos cônjuges na condução de um conflito, se algum dia forem forçados a fazê-lo; e a solidão, quando marido e/ou esposa acabar sentindo que o parceiro não o conhece nem o compreende realmente, visto que nenhum deles tem de fato consciência das verdadeiras origens emocionais de suas divergências.

Qual é o seu estilo de casamento?
Como vimos anteriormente, John Gottman classificou os casais estáveis em três estilos, tendo como base o modo de agir com o parceiro numa discussão: a expansividade emocional e a frequência e ritmo das tentativas de convencer o outro durante o conflito.

Mas os casais que se enquadram num dos três estilos estáveis de casamento diferem não só no modo como lidam com as divergências, mas também nas idéias e atitudes com as quais se sentem à vontade na relação.

Com base nestes três estilos, Jonh Gottman em seu livro Casamentos: por que alguns dão certo e outros não, apresenta o questionário “SEU TIPO CONJUGAL”. O questionário avalia como está o seu casamento neste momento e suas opiniões ou preferências sobre como você acha que deveria ser um casamento.

Qualquer que seja a situação atual do seu casamento, é útil tomar consciência do tipo de relação ideal para você. Comparando os resultados, você poderá observar as diferenças ou semelhanças na maneira de você e seu parceiro perceberem seu casamento ou que rumo gostariam de tomar. E desta forma, poderão discutir as mudanças que gostariam de fazer, de modo a encontrar formas mais inteligentes e equilibradas de abordarem as divergências.

 

Autor: | 2018-01-03T14:38:50+00:00 janeiro 3rd, 2018|Relacionamentos|0 Comentário

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário