Você está sabotando o seu relacionamento?

Sabotar implica ir contra algo, e o pior, contra si mesma. É Auto sabotagem, isso significa que terá que administrar as situações difíceis que você mesma produziu. Essa situação acontecem quando não se aguenta manter um vínculo que tenha equilíbrio e satisfação, principalmente se nunca teve algo significativo e valoroso antes.

È visível nos dias de hoje, a superficialidade com a qual nos vinculamos ao “outro”. Não se cria laços profundos e acaba-se por não viver experiências afetivas de qualidade, seja com filhos, pais, cônjuge, namorados, amigos.
Algumas pessoas com autoestima baixa tendem a não acreditar que possam se relacionar de forma satisfatória quando estão com alguém interessante e ainda possam ter seu valor reconhecido, tanto para o seu próprio parâmetro, como perante os outros (familiares e amigos).

Parecem duvidar de que sejam capazes de despertar o interesse de alguém tão especial, como se não fossem merecedoras de algo bom. Utilizam o recurso do boicote, que acontece por meio de suas próprias ações, para produzir efeitos negativos, que tendem não só dificultar como trabalhar para o seu rompimento.

“Ah! Eu não dou sorte no amor, não adianta… ” É o que eu mais ouço no consultório. Muito do que acreditamos sobre nós mesmos, os outros e sobre o amor, vem de nossas primeiras experiências, das nossas crenças familiares e formam um “mapa mental” que nos governa por toda vida. Quando examinamos e reavaliamos essas crenças, teremos condições de mudar esse mapa mental – de reescrever nosso roteiro de vida.

Você está sabotando o seu amor quando:
• Cria obstáculos para o entendimento.
• Imagina o que não aconteceu, como quem está procurando algo…
• É volúvel.
• Testa a paciência do companheiro.
• Deseja ter limites, pois, com o ato de boicotar, você sempre acaba na pior e se vê justificando depois a posição que está acostumada a ter: de ser sozinha, de manter a fama de briguenta, de manter o alto nível de ciúmes, de fantasiar que será trocada por outra etc.
• Mantém uma posição padrão no relacionamento, ou seja: que se repete.
• Você é do tipo que gosta de explosões, um modo de rebaixar a qualidade do vínculo. E de obter de forma equivocada e distorcida uma espécie de resposta quanto ao interesse do outro manter o relacionamento. É um tipo de teste com a finalidade de se sentir querida e em evidência.
• Forja situações, criando dificuldades com o parceiro.
• Nutre o fracasso no relacionamento.

O conflito não é necessariamente um sinal de que algo está errado, a maneira em que as diferenças são resolvidas (ou não) é uma medida mais precisa de estabilidade.

Ao verificar as frequentes queixas do seu parceiro, comece a refletir sobre exageros e situações em que poderia ter lidado de outra forma. Em relacionamentos saudáveis, as pessoas são flexíveis diante das circunstâncias, sem um comportamento rígido e fixo.

Pense nisso! E comece a escrever uma historia de amor com final feliz!

(*) Kátia Horpaczky
Psicóloga Clinica, Psicoterapeuta Sexual, Família e Casal.

Autor: | 2018-02-22T14:49:12+00:00 fevereiro 22nd, 2018|Relacionamentos|0 Comentário

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário