Depressão diminui o desejo sexual feminino

Falta de desejo esconde depressão

A sensação de não conseguir manter uma rotina sexual considerada normal pelo membro do casal deprimido causa, muitas vezes, um afastamento e um distanciamento entre parceiros.
A perda de interesse pelo sexo pode ser o primeiro sinal de depressão em mulheres. Mesmo quando elas ainda não apresentam outros sintomas mais comuns, como tristeza e desmotivação generalizada, a redução da libido já surge como indicador do problema que está por vir.

A revelação é da psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex), da USP. Ao avaliar os registros do projeto entre 2002 e 2008, ela constatou que a redução da libido era a principal reclamação das mulheres que procuravam atendimento. Essas pacientes eram submetidas a uma avaliação médica mais detalhada, que revelou haver depressão em cerca de 40% dos casos.
A descoberta é importante porque a depressão pode se tornar uma doença crônica, e praticamente incurável, com muita facilidade. “Se houver três episódios de depressão, porque os anteriores não foram tratados da maneira mais indicada, a chance de cura é praticamente perdida”, alerta Carmita.

A depressão influencia os neurotransmissores responsáveis pelo desejo sexual, causando desequilíbrios na resposta ao estímulo sexual. Este estado depressivo acaba por afastar o casal com o passar do tempo.

Como é que se podem tratar os problemas sexuais e a depressão

Tratar a depressão é sempre o primeiro passo para ultrapassar o problema, uma vez que à medida que esta condição é curada, o desejo sexual acaba por ser recuperado. Existem formas de contornar os efeitos secundários dos medicamentos antidepressivos na sua vida sexual, sem comprometer o tratamento da doença. Discutir este assunto com o seu médico e fazer psicoterapia é fundamental, uma vida sexual saudável é importante para o bem-estar pessoal e pode ajudar a encarar a depressão de forma mais positiva.

Por isso busque auxilio profissional.

By |2021-02-24T15:39:11+00:00fevereiro 24th, 2021|Sexualidade|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment